Comunicado de Imprensa

Direção-Geral das Artes implementa Acordo Ortográfico

Priberam celebra protocolo com a Direção-Geral das Artes

Lisboa, 13 de setembro de 2011 – A Priberam, especialista na conceção e desenvolvimento de software e conteúdos digitais, celebrou um acordo com a Direção-Geral das Artes, ao abrigo do qual foram doadas licenças do FLiP 8 para todos os computadores daquele organismo com vista à correta aplicação do Acordo Ortográfico de 1990 já a partir deste mês.

Este é o primeiro resultado do acordo que foi celebrado com o intuito de estabelecer um quadro formal de cooperação e uma parceria estratégica nos domínios técnicos, científicos, pedagógicos e culturais de intersecção da língua com os sistemas e tecnologias de informação.

Para Carlos Amaral, CEO da Priberam “Numa altura em que se inicia o primeiro ano letivo em que é obrigatória a aplicação do Acordo Ortográfico e a menos de quatro meses da sua aplicação no Governo e na Administração Pública, este protocolo e em particular os primeiros resultados da sua implementação vêm demonstrar que, tal como já vinha acontecendo na sociedade civil, nomeadamente na imprensa que tomou a dianteira na aplicação do Acordo ortográfico, o FLiP é um auxiliar precioso na transição para a nova ortografia.”

Para além da cedência das licenças de FLiP 8, foram realizadas ações de formação destinadas a todos os trabalhadores da Direção-Geral das Artes sobre a nova ortografia e a utilização de ferramentas computacionais e recursos linguísticos digitais de auxílio à escrita e à revisão de textos.

“A Direção-Geral das Artes participa ativamente no acompanhamento da introdução do Acordo no Sistema Educativo português, iniciado no presente mês de setembro, destacando-se aqui a relevância do facto de a esmagadora maioria das entidades com atividade artística financiada por esta Direção-Geral desenvolverem atividades direcionadas à comunidade escolar que envolvem a participação direta e ativa da globalidade dos intervenientes no sistema de ensino” refere Samuel Rego, Diretor-Geral das Artes, a propósito do protocolo celebrado com a Priberam.

Recorde-se que a Resolução do Conselho de Ministros n.º 8/2011, de 25 de janeiro, determina a aplicação do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa no sistema educativo no ano letivo de 2011/2012 e, a partir de 1 de janeiro de 2012, no Governo e em todos os serviços, organismos e entidades na dependência do Governo, bem como na publicação do Diário da República.

Em Portugal, os jornais e revistas que já adotaram o Acordo Ortográfico, nomeadamente o Expresso, o Record e a Visão, utilizam o FLiP como ferramenta de revisão e auxílio à escrita. O mesmo acontece com a Imprensa Nacional-Casa da Moeda, o Instituto Camões e os serviços de tradução da União Europeia. Também no Brasil, o Grupo Folha e o Estado de S. Paulo, entre outros, utilizam o FLiP, já que o produto inclui ferramentas para ambas as variedades do português.

Para mais informações: www.priberam.pt e www.flip.pt.

Sobre a Priberam:

A Priberam surge no ano de 1989 e conta mais de 20 anos de histórias e sucessos alcançados. É uma empresa especialista na conceção e desenvolvimento de software e conteúdos digitais, disponibilizando produtos e serviços em quatro áreas distintas: processamento computacional da língua, sistemas de gestão de conhecimento jurídico, motores de pesquisa semânticos e saúde.

Do seu leque de produtos destacam-se o FLiP, um conjunto de ferramentas linguísticas para escrita correta da língua portuguesa e ainda o LegiX, uma família de soluções para pesquisa da legislação, jurisprudência e doutrina.

A Priberam é ainda a primeira empresa em Portugal a ser reconhecida como Gold Certified Partner pela Microsoft, sendo a única empresa que desenvolve software e conteúdos que são incluídos em produtos comercializados por esta multinacional.


Sobre a Direção-Geral das Artes:

A Direção-Geral das Artes tem por missão a coordenação e execução das políticas de apoio às artes, dinamizando parcerias institucionais e promovendo políticas adequadas a garantir a universalidade da sua fruição, bem como a liberdade e a qualificação da criação artística.

Para mais informações: www.dgartes.pt.



13-09-2011